Senador propõe flexibilização de contratos da administração pública

Senador propõe flexibilização de contratos da administração pública

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Tramita no Senado Federal um projeto de lei para flexibilizar os contratos da administração pública enquanto durar a epidemia do coronavírus (Covid-19). O PL 2.139/2020 é assinado pelo senador Antonio Anastasia (PSD-MG).

PL quer manter segurança jurídica para ajustes em contratos administrativos
Jefferson Rudy/Agência Senado

Pelo texto, os contratados podem apresentar propostas do plano de contingência. A administração poderá rever obrigações contratuais e adotar as medidas necessárias para conter os impactos da pandemia ou assegurar a continuidade da prestação. Alguns exemplos das previsões são:

  • I – suspender a exigibilidade de obrigações, com a consequente revisão de cronogramas para entrega de produtos, de serviços ou para a realização de investimentos;
  • II – autorizar que o contratado promova a desmobilização de pessoas, equipamentos e estruturas alocados na execução do contrato;
  • III – promover a alteração das especificações e quantidades do objeto contratual;
  • IV – suspender a exequibilidade de sanções.

Nos contratos que preveem remuneração variável ou a aplicação de penalidades, a administração poderá suspender a aplicação de indicadores cujo cumprimento sejam comprovadamente inviáveis pelo coronavírus. Também é prevista a revisão do sistema de desempenho previsto no contrato, de modo a estabelecer um nível mínimo de qualidade, compatível com a prestação do objeto contratual em regime de contingência.

Já nos contratos de concessões, são previstas postergação de pagamento de encargos, como: valores de outorga fixa ou variável; de receitas alternativas, complementares, acessórias ou de projetos associados; encargos de fiscalização ou congêneres, previstos nos respectivos contratos; encargos setoriais, previstos na legislação reguladora dos serviços objeto do contrato, desde que não tenham natureza tributária.

Funcionamento mínimo

Na justificativa do projeto está o intuito de viabilizar medidas necessárias para manter os contratos administrativos atingidos pelos efeitos da Covid-19, além de oferecer a segurança jurídica.

“Contando com previsão legal específica, a Administração terá o apoio necessário à árdua tarefa de manter as contratações vigentes — que, afinal, justificam-se ao atendimento do interesse público — e, tanto ela quanto os particulares contratados, terão a certeza necessária da validade e eficácia dessas medidas”, afirma.

Projeto parecido suspende temporariamente leis do Direito Privado enquanto durar a epidemia do coronavírus no Brasil. O PL 1.179 foi aprovado pelo Senado em abril e agora tramita na Câmara dos Deputados. O texto também é assinado por Anastasia (PSD) e sua redação contou com apoio de inúmeros juristas renomados. A relatoria ficou com a senadora Simone Tebet.

Clique aqui para ler o projeto

PL 2139/2020

Leia também